sexta-feira, 8 de maio de 2015

Top 5 dos meus maiores desafios

Olá a todos! Hoje a postagem é direcionada aos grandes desafios que eu já enfrentei no mundo dos jogos eletrônicos. Penei muito para zerar esses jogos no tempo dos arcades e na atualidade. Fiz uma pequena lista dos cinco jogos mais difíceis jogados por mim. Claro que eu poderia deixar a lista ainda maior, mas são jogos que eu até hoje jogo e que deram muita dor de cabeça para mim e com certeza, para muitos jogadores. Vamos lá?

Jogo 1 - Ghosts´n Goblins - Arcade


Esse é um dos jogos mais populares e desafiadores de todos os tempos. Praticamente todos os jogadores que tiveram infância nos anos 1980 já jogaram Ghosts´n Goblins. O meu maior desafio nesse game era justamente terminar o segundo loop. Mesmo utilizando muitas fichas, eu só fui zerar esse jogo com um único crédito depois que eu o reencontrei no MAME (emulador de jogos de arcade) e sofri até conseguir isso.

A minha maior dificuldade:
Derrotar o penúltimo chefe. Na verdade, são dois. Os guardiões do último portão: os monstros voadores. Tanto no primeiro como no segundo loop era ali que eu perdia minhas vidas, fichas, etc.

Jogo 2 - Gun.Smoke - Arcade/PS3


Meu contato com este jogo foi em 2014 na coleção Capcom Arcade Cabinet para Playstation 3. É um excelente jogo de shooter, mas terrivelmente difícil. O jogo fica um pouco mais fácil quando se pega o cavalo, mas ao perdê-lo é preciso ter ótima habilidade e reflexo para desviar dos tiros dos inimigos. É um game viciante e até hoje o jogo quando tenho tempo livre. Gostaria muito de fazer 1 C/C nele, mas não ficarei insistente em realizar o feito. Zerei o jogo por obrigação, não por prazer.

A minha maior dificuldade: Derrotar o último chefe. São três irmãos que atiram de forma bem complicada de desviar. Além dos chefes, ainda têm os inimigos que deixam o desafio ainda maior. Eu levei cerca de 4 dias para conseguir terminar aquilo. Foi complicado e quando jogo Gun.Smoke e me lembro dos chefões, fico triste e bem deprimido. Hahaha.

Jogo 3 - Saint Dragon - Arcade



Esse jogo foi um dos que mais tenho orgulho de ter conseguido zerar com um único crédito. O caminho até o feito foi muito árduo e complicado. Cheguei a pensar que jamais conseguiria terminar o jogo. Eu mal me lembro o número de créditos que usei para zerá-lo na primeira vez. Não existia YouTube na época e eu não conhecia ninguém pessoalmente que o tivesse finalizado para que pudesse me ajudar com dicas. O joguei em 1990/1991 no fliperama e só o reencontrei no MAME em 1999. Lembro que insisti por dias até conseguir compreender os ataques inimigos. Demorou, mas depois que aprendi, tudo ficou mais fácil. No YouTube tem um vídeo meu dividido em algumas partes mostrando o gameplay. É só procurar como INNUENDO - SAINT DRAGON. :)

A minha maior dificuldade:
Fase 4 e o último chefe. O jogo possui 6 fases e eu apanhei na mencionada. Nível de dificuldade bem diferente. Resumiria como fase 1 - tranquila, fase 2 - média, fase 3 - difícil, fase 4 - muito difícil, fase 5 - média (basta decorar onde estar que o resto fica fácil) e fase final - difícil. A fase 4 é terrível. A forma dos ataques inimigos e de onde surgem as plataformas de metal fazem desta a fase mais difícil de todo o jogo. É preciso memorização e bons reflexos. 

O último chefe deu trabalho até entender que é possível ficar nos lugares certos e não ser atingido. Até compreender o ataque dele perdi muitas vidas e usei muitos continues.

Jogo 4 - XX Mission - Arcade


Esse jogo foi uma das maiores dores de cabeça que já passei. Na época eu não o jogava no MAME porque o referido emulador ainda não o tinha na sua lista de jogos. Sequer me lembro o nome do emulador de tão ruim que ele era. Quando eu o joguei no arcade eu não durava muito. O jogo não possui fases e lembra muito o sistema do Xevious. Acredito que o tempo total de jogo, sem morrer, seja de 30 minutos ou um pouco mais.

A minha maior dificuldade: Controle, porta-aviões e parte final do jogo. Irei explicar melhor. O controle do emulador no qual joguei XX Mission não possuía configurações. Eu só consigo jogar usando a mão esquerda para direcional e direita para botões. Eu tive que trocar as posições e jogar de maneira invertida. Como aquilo complicou a minha vida. Fiquei em cima do jogo por quase 4 horas sem parar e controlar o avião era muito difícil daquele jeito. Passei muita raiva e chateação.

O porta-aviões é um dos chefes mais difíceis desse jogo. O avião atira em duas direções: ar e terra. O chefe só pode ser atingido pelo tiro "terra" e esse maldito ainda solta aviões em cima de você. Para destruí-los só pode ser com o tiro "ar". O problema é intercalar os dois tiros.

A última parte, que não possui chefe final, é insana. Mesmo decorando as posições do inimigo é muito difícil finalizar a fase e terminar o jogo. Não consigo garantir zerá-lo com um crédito até hoje. XX Mission foi um desafio supremo. Quantos créditos se gastam em 4 horas de partida? Muitos, não é mesmo? 

Jogo 5 - Shadow of the Beast - Amiga



Cada jogo que eu mencionei até aqui não segue uma ordem de dificuldade, dando a entender que Beast é o mais difícil de todos. Na verdade, cada jogo tem um gameplay diferente. Shinobi e Rygar, por exemplo, não têm continues depois de um certo progresso de jogo. Sendo assim, cada jogo é diferente e possui um certo nível de dificuldade.

Me encantei com Shadow of the Beast desde a primeira vez que o vi no Amiga de um amigo meu. Depois, tive contato com esse jogo no Mega Drive e fiz de tudo para zerá-lo. Cheguei a convidar um cara que o zerava com invencibilidade só para me mostrar o que era preciso fazer para finalizar o game. O jogo possui alguns enigmas e eu não resolvi todos. Depois que aprendi, consegui zerar sem a ajuda do truque, mas levou um tempo.

O desafio supremo surgiu ao jogá-lo na versão de Amiga, emulada pelo Winuae. Muito mais difícil que a versão do Genesis. E ainda mais bonita, com excelente música, gráficos... Era outro jogo.

A minha maior dificuldade: Todo o jogo. O fator que mais faz os jogadores desistirem de zerar o SOTB é não haver continues ou vidas extras. O personagem tem uma única vida com um contador life de 12. É possível recuperar energia total ou parcial, mas ao morrer, fim de jogo. Só recomeçando do início para tentar novamente. Não adiantou decorar inimigos, ter habilidade ou qualquer outra coisa. Precisei de insistência e de três meses, jogando diariamente, até conseguir matar o último chefe e zerá-lo. O que me motivou foi adorar o jogo. Sem isso, não conseguiria. Iria simplesmente cansar, jogar por obrigação e não haveria curtição. A dificuldade também me fascinava. Li muito sobre o jogo e vi alguns vídeos no YouTube. Eu queria ser um dos jogadores que também era capaz de terminá-lo. Faz parte da vida de alguns jogadores assumir um desafio e concluí-lo.

Acredito que muitos jogadores gostam de desafio. Não basta apenas jogar um e dominá-lo com facilidade. Aceitar um jogo difícil é querer superar limites, realizar um grande feito, vencer um gigante, ser superior a algo que é incomum para a maioria dos gamers. Acho o máximo ver gameplays de jogos como Battletoads.

E você, amigo leitor? Quais os jogos que você mais considera difíceis e que você zerou? Ficaria agradecido se você me disser.

Até a próxima postagem.

4 comentários:

  1. Muito bom esse blog sobre os jogos retrôs! Tenho no meu favorito. Parabéns!
    Também tenho um blog sobre clássicos retrôs entre outros. Gostaria de uma parceria?
    Aguardo contato.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado pelo comentário. Te agradeço pelo convite, mas não posso aceitar. Sinto muito.

      Excluir
  2. Sensacional mestre Innuendo! Não é à toa que eu o considero um mestre! Parabéns pelas conquistas e eu pude conferir em tempo quase real algumas dessas façanhas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado pelo elogio, mestre Jorge. Saiba que a minha consideração por você é exatamente a mesma. Valeu de coração pela força. Eu sofri para conseguir finalizar esses jogos, mesmo com continues e ainda assim, não garanto 1 c/c em alguns deles. Abração.

      Excluir